O “crime da Rua do Sol”: os diários do Porto e o novo jornalismo dos anos 60 em Portugal

Elsa Costa Silva

Resumo


Os anos 60 representarem um período de mudança no jornalismo português. Apesar do regime autoritário e repressivo do Estado Novo, novas tendências começaram a marcar os periódicos portugueses. Um registo menos burocrático, mais criativo e experimental, uma aposta em géneros como reportagem e entrevista foram identificados nos periódicos lisboetas, onde a fotografia e novas fontes de informação começaram a pontuar com mais frequência. Este trabalho procura, através de um estudo de caso, avaliar se estas novas tendências também se manifestaram nos jornais portuenses. Através da análise à cobertura jornalística nos três periódicos portuenses (Comércio do Porto, Primeiro de Janeiro e Jornal de Notícias) do “Crime da Rua do Sol”, um caso emblemático da cidade do Porto, este artigo identifica os sinais de mudança, que se verificaram sobretudo no Jornal de Notícias.


Palavras-chave


história do jornalismo; censura; reportagem; fontes de informação

Texto Completo:

PDF

Referências


Barreto, J. (1999). Censura. Em A. Barreto e F. Mónica, Dicionário de História de Portugal, vol. 7, Porto: Figueirinhas, pp. 275-284.

Cabrera, A. (2006). Os jornalistas no Marcelismo–dinâmicas sociais e reivindicativas. Media & Jornalismo, 9, 9-22.

Caldeira, A. (2008). A censura a que temos direito. Media & Jornalismo, Lisboa, 12, 9-18.

Correia, F., & Baptista, C. (2005). Anos 60: um período de viragem no jornalismo português. Livro de Atas 4º SOPCOM: Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação, 1191-1202.

Correia, F. e Baptista, C. (2007) Jornalistas, do ofício à profissão – mudanças no jornalismo português (1956-1968). Lisboa: Editorial Caminho.

Forte, I. (2000). A censura de Salazar no jornal de notícias. Coimbra: MinervaCoimbra.

Franco, G. (1993). A censura à imprensa, 1820-1974. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda.

Funkhouser, G. R. (1973). Trends in media coverage of the issues of the′ 60s. Journalism Quarterly, 50(3), 533-538.

Katz, J. (1987). What makes crime news?. Media, Culture & Society, 9(1), 47-75.

Lima, H. L. D. D. (2014). Meios de censura e formas de condicionamento do jornalismo na ditadura portuguesa. Media & Jornalismo, 2013, Nº23, Vol. 12, Nº1, p. 165-188.

Penedo, C. (2003). O Crime nos Media. Impacto e valor simbólico das histórias transgressivas. Media & Jornalismo, 3(3), 89-102.

Rosa, G. P. (2017) Repórteres apesar de tudo. As vias possíveis de reportagem nos jornais durante o estado novo. In J. R. Carvalheiro (Org.) Facetas do reporter – narrador e narrado, Covilhã: Labcom.IFP, pp.19- 42.

Sobreira, R. M. (2003). O ensino do jornalismo e a profissionalização dos jornalistas em Portugal (1933-1974). Media & Jornalismo, 3(6), 67-87.


Apontadores

  • Não há apontadores.


Licença URL: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_PT