A anatomia do escândalo mediático: visibilidade, silêncios e pragmática nos mass media

Hélder Prior

Resumo


O seguinte ensaio procura analisar a reconfiguração e reconstrução social do fenómeno do escândalo político nos media. Procuraremos indagar aspectos da comunicação mediatizada que convertem o escândalo num acontecimento seleccionado, enquadrado e moldado pelo dispositivo mediático de informação. A primeira parte do artigo refere-se a um esforço teórico sobre a conceptualização do escândalo político. Posteriormente, aludimos acerca do papel dos media na reconfiguração narrativa do acontecimento e na utilização de recursos linguísticos, retóricos e expressivos inerentes ao escândalo enquanto artefacto mediático.


Palavras-chave


escândalo político; personalização; efeitos de sentido.

Texto Completo:

PDF

Referências


Bobbio, N. (1997). O futuro da democracia. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra.

Canel, M. J. & Sanders, K. (2006). Morality tales: political scandals and journalism in Britain and Spain in the 1990s. Broadway: Hampton Pres.

Derrida, J. & Stiegler, B. (1996). Échographies de la télévision. Paris: Galilée.

Entman, R. (2012). Scandal and silence: media responses to social misconduct. Cambridge: Polity Press.

Figueiredo, C. (1996). Grande Dicionário da Língua Portuguesa. Lisboa: Bertrand.

Habermas, J. (2006). Historia y crítica de la opinión pública; la transformación estructural de la vida pública. Barcelona: Gustavo Gili.

Luhmann, N. (2006). Complexidade societal e opinião pública. In N. Luhmann, A improbabilidade da comunicação. Lisboa: Editora Veja, Colecção Passagens.

Markovits, A. & Silverstein, M. (1988). The politics of scandal: power and process in liberal democracies. New York: Holmes & Meier Publishers.

Mesquita, M. (2002). Personagem jornalística: da narratologia à deontologia. In M. Mesquita, O quarto equívoco: o poder dos media na sociedade contemporânea. Coimbra: Minerva Coimbra.

Motta, L. G. (2013). Análise crítica da narrativa. Brasília: Editora UnB.

Nyhan, B. (2014). Scandal potential: how political context and news congestion affect the presi- dent’s vulnerability to media scandal. B.J.Pol.S. 45, 435-466. Cambridge University Press.

Prior, H. (2016). Esfera pública e escândalo político: a face oculta do poder. Porto: Media XXI.

Prior, H. (2018). Escândalo político e narratologia: tecendo os fios narrativos dos casos Face Oculta e Lava Jato. Revista Famecos: Mídia, Cultura e Tecnologia, 25(1), 1-25. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/28191.

Ricoeur, P. (1985). Temp et récit III: le temps raconté. Paris: Le Seuil.

Sanchéz, J. (1995). Detrás del escándalo político: opinión pública, diñero y poder em españa del siglo XX. Barcelona: Tusquets Editores.

Thompson, J. (2001). El escándalo político: poder y visibilidade em la era de los medios de comunicación. Barcelona: Paidós.

Todorov, T. (1970). As estruturas narrativas. São Paulo: Editora Perspectiva. Vattimo, G. (1992). A sociedade transparente. Lisboa: Relógio D’Água Editores.

Waisbord, S. R. (2004). Scandals, media, and citizenship in contemporary Argentina. American Behavioral Scientist, 47(8), 1072-1098.


Apontadores

  • Não há apontadores.


Licença URL: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_PT