Comunicar a responsabilidade social: um modelo de comunicação para as universidades públicas portuguesas

Sónia Silva, Teresa Ruão, Gisela Gonçalves

Resumo


O presente trabalho pretende compreender e explicar a relação entre os fenómenos da comunicação e da responsabilidade social a partir da observação de quatro universidades públicas portuguesas, a Universidade da Beira Interior, a Universidade de Lisboa, a Universidade do Minho e a Universidade do Porto.

Utilizando o estudo de caso múltiplo como método de pesquisa, procurou-se observar dois fenómenos: 1) a missão das universidades públicas portuguesas na sociedade contemporânea; e 2) e o papel da comunicação organizacional e estratégica no cumprimento dessa missão, mediante a criação de um modelo capaz de prescrever as melhores práticas de comunicação para o cumprimento da responsabilidade social destas instituições.

Os resultados da investigação mostraram que as universidades têm a missão de acompanhar e promover o progresso das sociedades, através do conhecimento e investigação que produzem. Este protagonismo assume particular relevância na atualidade, num momento em que as expectativas face à sua atuação crescem e os públicos se diversificam. E, quando bem planeada e articulada com a estratégia organizacional, a comunicação pode ajudar as universidades a cumprir a sua missão social, gerando valor para si e para a sociedade. Isso implica, contudo, uma evolução dos modelos de comunicação das universidades que precisam de ser mais participativos.


Palavras-chave


Comunicação Organizacional e Estratégica, Missão Organizacional, Responsabilidade Social Organizacional, Universidades Públicas.

Texto Completo:

PDF

Referências


Azevedo, S. F. d. (2019, 05/06/2019) Entrevista com o Professor Doutor Sebastião Feyo de Azevedo, Reitor da Universidade do Porto entre 2014 e 2018/Entrevistador: S. Silva.

Balonas, S. (2014). Olhar o público interno: o fator crítico nas estratégias de responsabilidade social. In T. Ruão, T. Ruão, P. Salgado, R. d. Freitas & P. C. Ribeiro (Eds.), Comunicação Organizacional e Relações Públicas: horizontes e perspetivas. Relatório de um debate (pp. 73-86). Braga: CECS - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade.

Baxter, P. & Jack, S. (2008). Qualitative Case Study Methodology: Study Design and Implementation for Novice Researchers. The Qualitative Report, 13(4), 544-559.

Brennan, J. (2008). Higher education and social change. Higher Education Quarterly, 56(3), 381-393. doi:10.1007/s10734-008-9126-4

Bulotaite, N. (2003). University Heritage—An Institutional Tool for Branding and Marketing. Higher Education in Europe, 28(4), 449-454. doi:10.1080/0379772032000170417

Cabrito, B. G. (2004). O Financiamento do Ensino Superior em Portugal: entre o Estado e o Mercado. Educação & Sociedade, 25(88), 977-996.

Carvalho, R. d. (1986). História do ensino em Portugal: desde a fundação da nacionalidade até ao fim do regime de Salazar - Caetano (3 ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Casablancas-Segura, C., Llonch, J. & Alarcón-del-Amo, M. a. (2019). Segmenting public universities based on their stakeholder orientation. International Journal of Educational Management, 33(4), 614-628. doi:doi.org/10.1108/IJEM-02-2018-0079

Castro, R. V. (2019, 23/02/2019) Entrevista com o Professor Doutor Rui Vieira de Castro, Reitor da Universidade do Minho (UMinho)/Entrevistador: S. Silva.

Chaudhri, V. (2014). Corporate Social Responsibility and the Communication Imperative: Perspectives From CSR Managers. International Journal of Business Communication, 1-24. doi:10.1177/2329488414525469

Chile, L. & Black, X. (2015). University–community engagement: Case study of university social responsibility. Education, Citizenship and Social Justice, 10(3), 234-253. doi:10.1177/1746197915607278

Cruz, G. B. (2008). O essencial sobre a História da Universidade. Lisboa: Impresa Nacional - Casa da Moeda.

Eisenegger, M. & Schranz, M. (2011). Reputation Management and Corporate Social Responsibility. In Ø. Ihlen, J. L. Bartlett & S. May (Eds.), The Handbook of Communication and Corporate Social Responsibility (pp. 128-146). Oxford: John Wiley & Sons.

Entrevista com o responsável de comunicação da Universidade do Porto. (2016, 07/06/2016) /Entrevistador: S. Silva.

Entrevista de comunicação com o responsável de comunicação da Universidade da Beira Interior. (2016, 15/06/2016) /Entrevistador: S. Silva.

Esgaio, A. & Gomes, S. (2018). Livro verde sobre Responsabilidade social e instituições de ensino superior. Lisboa: PRESS FORUM, SA - Comunicação Social.

Etang, J. L., Lugo-Ocando, J. & Ahmad, Z. A. (2011). Ethics: Corporate Social Responsibility, Power and Strategic Communication. In Ø. Ihlen, J. L. Bartlett & S. May (Eds.), The Handbook of Communication and Corporate Social Responsibility (pp. 170-187). Oxford: John Wiley & Sons.

Fernandes, J. L. (2018a). Desafios e Oportunidades para a Comunicação das Organizações nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. DEDiCA: Revista de Educação e Humanidades(14), 103-117. doi:10.30827/dreh.v0i14.7505

Fernandes, J. L. (2018b). Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e Implicações no Ensino Superior: Aplicação a uma Instituição de Ensino Superior de Ciências Sociais Aplicadas. DEDiCA: Revista de Educação e Humanidades(15), 99-120. doi:10.30827/dreh.v0i15.8032

Ferreira, A. I. & Hill, M. M. (2007). Diferenças de Cultura entre Instituições de Ensino Superior Público e Privado: um Estudo de Caso. Psicologia, 21(1), 7-26.

Ferreira, L. (2019, 20/03/2019) Entrevista com o Professor Doutor Luís Ferreira, Vice-Reitor da Universidade de Lisboa (ULisboa)/Entrevistador: S. Silva.

Fidalgo, A. (2019, 10/01/2019) Entrevista com o Professor Doutor António Fidalgo, Reitor da Universidade da Beira Interior (UBI)/Entrevistador: S. Silva.

Figueira, A. (2017). Nivelar os pratos da balança – Estudo da Comunicação Organizacional como fator de sustentabilidade nas parcerias estratégicas entre organizações solidárias e empresas. (Tese de Doutoramento em Ciências da Comunicação), Universidade do Minho, Braga. Retirado de http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/55777/4/Alexandra%20Maria%20Gomes%20da%20Costa%20de%20Morais%20Figueira.pdf

Freixo, M. J. V. (2013). Teorias e Modelos de Comunicação (3 ed.). Lisboa: Instituto Piaget.

Gerring, J. (2004). What Is a Case Study and What Is It Good for? American Political Science Review, 98(2), 341-354.

Gioia, D. A. & Thomas, J. B. (1996). Identity, Image, and Issue Interpretation: Sensemaking During Strategic Change in Academia. Administrative Science Quarterly, 41(3), 370-403.

Gonçalves, G. (2013). Ligações perigosas: Comunicação e Responsabilidade Social Empresarial. Cadernos de Comunicação, 17(2), 15-29.

Hancock, D. R. & Algozzine, B. (2006). Doing Case Study Research: A Practical Guide for Beginning Researchers. New York: Teachers College Press.

Hegde, D. (2005). Public and Private Universities: Unequal Sources of Regional Innovation? Economic Development Quarterly, 19(4). doi:10.1177/0891242405280111

Heide, M., Platen, S. v., Simonsson, C. & Falkheimer, J. (2018). Expanding the Scope of Strategic Communication: Towards a Holistic Understanding of Organizational Complexity. International Journal of Strategic Communication, 12(4), 452-468. doi:10.1080/1553118X.2018.1456434

Ihlen, Ø., Bartlett, J. L. & May, S. (2011). Corporate Social Responsibility and Communication. In Ø. Ihlen, J. L. Bartlett & S. May (Eds.), The Handbook of Communication and Corporate Social Responsibility (pp. 3-22). Oxford: John Wiley & Sons.

Jongbloed, B., Enders, J. & Salerno, C. (2008). Higher education and its communities: Interconnections, interdependencies and a research agenda. Higher Education Quarterly, 56(3), 303-324. doi:10.1007/s10734-008-9128-2

Jorge, M. L. & Peña, F. A. (2017). Analysing the Literature on University Social Responsibility: a Review of Selected Higher Education Journals. Higher Education Quarterly, 71(4), 302-319. doi:10.1111/hequ.12122

Kreysing, M. (2002). Autonomy, accountability, and organizational complexity in higher education: the Goettingen model of university reform. Journal of Educational Administration, 40(6), 552-560. doi:10.1108/09578230210446036

Lindgreen, A. & Swaen, V. r. (2010). Corporate Social Responsibility. International Journal of Management Reviews, 1-7. doi:10.1111/j.1468-2370.2009.00277.x

Macnamara, J. & Gregory, A. (2018). Expanding Evaluation to Progress Strategic Communication: Beyond Message Tracking to Open Listening. International Journal of Strategic Communication, 12(4), 469-486. doi:10.1080/1553118X.2018.1450255

Mainardes, E. W., Raposo, M. & Alves, H. (2014). Universities Need a Market Orientation to Attract Non-Traditional Stakeholders as New Financing Sources. Public Organization Review, 14(2), 159-171. doi:10.1007/s11115-012-0211-x

Maxwell, J. A. (2013). Qualitative research design: An interactive approach (3 ed.). Thousand Oaks: Sage Publications.

Meirinhos, M. & Osório, A. (2010). O estudo de caso como estratégia de investigação em educação. Revista de Educação, 2(2), 49-65.

Melewar, T. C. & Akel, S. (2005). The role of corporate identity in the higher education sector: A case study. Corporate Communications: An International Journal, 10(1), 41-57. doi:10.1108/13563280510578196

Michaels, A. & Grüning, M. (2018). The impact of corporate identity on corporate social responsibility disclosure. International Journal of Corporate Social Responsibility, 3(3), 1-13. doi:10.1186/s40991-018-0028-1

Miles, M. P., Munilla, L. S. & Darroch, J. (2006). The Role of Strategic Conversations with Stakeholders in the Formation of Corporate Social Responsibility Strategy. Journal of Business Ethics, 69, 195-205. doi:10.1007/s10551-006-9085-6

Mora, I. R. (2012). Las relaciones con los públicos y su reflejo en las memorias de Responsabilidad Social. Revista Internacional de Relaciones Públicas, 2(4), 173-200. doi:10.5783/RIRP-4-2012-08-173-200

Morsing, M. (2006). Corporate social responsibility as strategic auto-communication: on the role of external stakeholders for member identification. Business Ethics: A European Review, 15(2), 171-182.

Morsing, M. & Schultz, M. (2006). Corporate social responsibility communication: stakeholder information, response and involvement strategies. Business Ethics: A European Review, 15(4), 323-338.

Morsing, M., Schultz, M. & Nielsen, K. U. (2008). The ‘Catch 22’ of communicating CSR: Findings from a Danish study. Journal of Marketing Communications, 14(2), 97-111. doi:10.1080/13527260701856608

Murphy, P. E. & Schlegelmilch, B. B. (2013). Corporate social responsibility and corporate social irresponsibility: Introduction to a special topic section. Journal of Business Research, 1-7. doi:10.1016/j.jbusres.2013.02.001

Osman, H. (2008). Re-branding academic institutions with corporate advertising: a genre perspective. Discourse & Communication, 2(1), 57-77. doi:10.1177/1750481307085577

Pereira, A. M. S. (2018). Programa de Ação 2018-2022: António Manuel de Sousa Pereira. Porto. Retirado de:

Pompeu, R. M. (2011). A Responsabilidade Social da Universidade na Formação de Capital Humano e como Ferramenta de Desenvolvimento Local Sustentável: os casos da UTAD e da UNIFOR. (Tese de Doutoramento), Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real.

Ralph, M. & Stubbs, W. (2014). Integrating environmental sustainability into universities. Higher Education Quarterly, 67(1), 71-90. doi:10.1007/s10734-013-9641-9

Ribeiro, R. & Magalhães, A. (2014). Política de Responsabilidade Social na Universidade: conceitos e desafios. Educação, Sociedade & Culturas(42), 133-156.

Ruão, T. (2008). A Comunicação Organizacional e os Fenómenos de Identidade: a aventura comunicativa da formação da Universidade do Minho, 1974-2006. (Tese de Doutoramento em Ciências da Comunicação), Universidade do Minho, Braga. Retirado de http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/8841/1/tese%20final.pdf

Santos, B. S. (1989). Da Ideia de Universidade à Universidade de Ideias. Revista Crítica de Ciências Sociais(27/28), 11-62.

Serra, A. (2014). Plano de Ação Para 2014-17 da Universidade de Lisboa. Lisboa. Retirado de: https://www.ulisboa.pt/sites/ulisboa.pt/files/documents/files/ulisboa_linhas_de_acao_2014-171.pdf

Sgorla, F. (2009). A Responsabilidade Social das Organizações Privadas: das Práticas à Gestão. Revista Alcance – Eletrônica, 16(3), 392-403.

Snider, J., Hill, R. P. & Martin, D. (2003). Corporate Social Responsibility in the 21st Century: A View from the World’s Most Successful Firms. Journal of Business Ethics, 48, 175-187.

Spínola, S. C. (2019). Comunicação ética e ética na comunicação: comunicar responsabilidade social empresarial? In S. P. Sebastião & P. Martins (Eds.), Ética em Comunicação: reflexões sobre os desafios, os atributos e as práticas (pp. 91-102). Lisboa: ISCSP – Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.

U.Porto. (2019). Website da Universidade do Porto. U.Porto em Síntese. Retirado de https://sigarra.up.pt/up/pt/web_base.gera_pagina?p_pagina=u-porto-em-sintese

UMinho. (2019). Website da Universidade do Minho. Factos e Números. Retirado de https://www.uminho.pt/PT/uminho/Paginas/factos-e-numeros.aspx

Vallaeys, F. o., Cruz, C. & Sasia, P. M. (2009). Responsabilidad social universitaria Manual de primeros pasos. México: McGraw-Hill Interamericana Editores.

Waddock, S. & Googins, B. K. (2011). The Paradoxes of Communicating Corporate Social Responsibility. In Ø. Ihlen, J. L. Bartlett & S. May (Eds.), The Handbook of Communication and Corporate Social Responsibility (pp. 23-43). Oxford: John Wiley & Sons.

Wæraas, A. & Solbakk, M. N. (2009). Defining the essence of a university: lessons from higher education branding. Higher Education(57), 449-462. doi:10.1007/s10734-008-9155-z

Weick, K. E. (1979). The Social Psychology of Organizing. London: Random House.

Yin, R. K. (2014). Case study research: design and methods (5 ed.). Thousand Oaks: Sage Publications.


Apontadores

  • Não há apontadores.


Licença URL: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_PT