Práticas e consumos dos jovens portugueses em ambientes digitais

Inês Amaral, Bruno Reis, Paula Lopes, Célia Quintas

Resumo


Na cultura juvenil, as lógicas de mobilidade, multiscreen e multitarefa permitem equacionar novas práticas mediáticas numa era de convergência das pla- taformas digitais e dos consumos em cross-media. Neste artigo, descrevemos indicadores de atividades online de jovens portugueses com o objetivo de analisar as suas práticas mediáticas digitais e os consumos em rede que decorrem da apropriação dos recursos técnicos. O estudo empírico foi operacionali- zado com recurso ao inquérito por questionário, aplicado a uma amostra de 1814 estudantes a frequentar o Ensino Básico (3o ciclo), Secundário e Profissional, em estabelecimentos de ensino nas 18 capitais de distrito de Portugal Continental. Os resultados revelam que as práticas sociais em rede têm maior prevalência e que os consumos digitais de acesso são os mais constantes: em rigor, os consumos mais significativos estão associados ao entretenimento, com diferentes práticas mobilizadas. Numa perspetiva de sociabilidade em rede orientada à interação com os pares, verificámos que as competências técnicas podem limitar o consumo tecnológico destes jovens. 


Palavras-chave


jovens; práticas digitais; consumos digitais.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Licença URL: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_PT