Entre o convencer e o admirar: estratégias discursivas da Igreja Universal na Programação IURD e na campanha Eu Sou A Universal

Marco Túlio Sousa, Jênifer Rosa de Oliveira

Resumo


O presente trabalho expõe uma análise comparativa de dois produtos midiáticos da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD): uma peça publicitária da campanha "Eu sou a Universal"disponível na internet e um testemunho proferido por um fiel veiculado em um dos programas televisivos que compõem a Programação IURD (conjunto de programas que a igreja exibe durante a madrugada) do estado brasileiro de Minas Gerais. Em comum os objetos analisados trazem a história de Cláudio Soares, ex-mendigo que se tornou empresário bem sucedido. Tendo como referenciais teóricos a Análise de Discurso franco-brasileira de Eni Orlandi e Michel Pêcheux, bem como elementos da retórica aristotélica, procuramos identificar as diferentes estratégias discursivas que a IURD utiliza a partir dos dois contextos enunciativos. Dessa forma, observamos em que tais estratégias diferem de acordo com os objetivos específicos de cada produto e o público para os quais eles se destinam.


Palavras-chave


Igreja Universal do Reino de Deus; análise de discurso; programação IURD, Eu Sou A Universal

Texto Completo:

PDF

Referências


Carvalho, C. A. de & Sousa, M. T. de (2014). Narrar, lembrar, esquecer: os 35 anos da Igreja Universal na Folha Universal e na Folha de Portugal. Estudos em Comunicação, (17), 143- 166.

Castro, J. & Duarte, A. (2012, junho 29). Censo: Igreja Universal perde adeptos, e Poder de Deus ganha. O Globo. Disponível: https://goo.gl/LROSZM. Acesso: 31/07/2016.

Mariano, R. (1999). NeoPentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola.

Modesto, C. M. (2012). 34 anos de evangelismo eletrônico. Observatório da Imprensa. Disponível em: https://goo.gl/0kQ0ow. Acesso: 12/08/2016.

Oliveira, J. R. &, Sousa, M. T. de (2014). O fiel como garoto propaganda: análise discursiva de uma campanha publicitária da Igreja Universal do Reino de Deus. Novos Olhares, (3), 2.

Osakabe, H. (1999). Argumentação e discurso político. São Paulo: Martins Fontes.

Orlandi, E. P. (2005). Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes.

Oro, A. P. (2007). Intolerância religiosa e reações afro no Rio Grande do Sul. In V. G. da Silva (org), Intolerância religiosa: impactos do neopentecostalismo no campo religioso afro- brasileiro. São Paulo: Edusp.

Ricoeur, P. (1991). Do texto a acção: ensaios de hermenêutica II. Porto: Res.

Ricoeur, P. (2010). Tempo e narrativa: a intriga e a narrativa histórica – Tomo I. São Paulo: Martins Fontes.

Sousa, M. T. de. (2014). As narrativas do reino: análise narrativa de programas televisivos da Igreja Universal nas madrugadas mineiras. Dissertação de Mestrado em Comunicação Social. Programa de pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Brasil.


Apontadores

  • Não há apontadores.


Licença URL: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_PT