A queda de um herói – o Xanana Gusmão jornalístico e a condição efémera das personagens de imprensa

João Manuel Rocha

Resumo


Xanana Gusmão, líder da resistência timorense contra a ocupação indonésia, era em 1999 descrito pela imprensa portuguesa como um herói romântico, um homem que só queria ser uma pessoa comum. Quinze anos depois, na sequência da expulsão de um grupo de magistrados pelas autoridades do já soberano Timor-Leste, os jornais retratam um Xanana muito diferente: o nessa altura primeiro-ministro surge como opositor da Justiça e protector de interesses corruptos. Fazendo um confronto entre o “Xanana jornalístico” dos jornais Diário de Notícias e Público em 1999 e 2014, este artigo reflecte sobre a natureza dinâmica das personagens dos media noticiosos e sobre a sua condição efémera, que se considera ser determinada pelo framing orienta- dor das notícias. 


Palavras-chave


jornalismo, narrativas, personagem, framing

Texto Completo:

PDF

Referências


Livro de Estilo do Público ((1998). Lisboa. Público-Comunicação Social, SA.

Barthes, R. (1993). Rethorique de l’image. In Oeuvres Complètes, Tome I (pp. 1417-1429). Paris: Editions du Seuil. (Originalmente publicado em Communications, (4), Seuil, Paris, Novembre, 1964).

Berger, J.; Blomberg, S.; Fox, C.; Dibb, M. & Hollis, R. (1972). Ways of seeing. London: British Broadcast Corporation and Penguin Books.

Carvalho, A. (2008). Media(ted) discourse and society. rethinking the framework of critical discourse analysis. Journalism Studies, (9) 2: 161-177.

Cascais, F. (2001). Dicionário de jornalismo. Lisboa: Editorial Verbo. Casteleiro J. M. (2001). Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea. 1a ed., vol. 1. Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa, Verbo.

Correia, J. C. (2011). O admirável mundo das notícias: Teorias e métodos. Covilhã: LabCom Books. Acedido em 15 de Julho de 2017, em http://www.labcom-ifp.ubi.pt/ficheiros/20110524- correia_manual_noticial.pdf

Correia, J. C. (2016). Prefácio. In A. Gradim, Framing. O enquadramento das notícias (pp. 7-14). Lisboa: Livros Horizonte.

Covo, J. (1991). Le personnage historique construit par le jornal. Porfirio Diaz et la presse ma- drilène. In J. Covo (ed.), La construction du personnage historique, Aires hispanique et hispano-américaine (pp. 273-278). Lille: Presses Universitaires de Lille.

Couégnas, D. (1992). Introduction à la paralittérature. Paris: Éditions du Seuil. Ducrot, O. & Todorov, T. (1982). Dicionário das ciências da linguagem. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Eder, J.; Jannidis, F. & Schneider, R. (2010). Characters in fictional worlds, an introduction. In J. Eder, F. Jannidis & R. Schneider (eds), Characters in fictional worlds, understanding imaginary beings in literature, film and other media (pp. 3-64). Berlin. De Gruyte.

Entman, R. M. (1993). Framing: Toward clarification of a fractured paradigm. Journal of Com- munication, 43 (4): 51-58.

Forster, E. M. (1982). Aspects of the novel. London: Penguin Books.

Gradim, A. (2016). Framing O enquadramento das notícias. Lisboa: Livros Horizonte.

Hamon, P. (1979). Para um estatuto semiológico da personagem. In M. A. Seixo (ed.), Categorias da narrativa (pp. 85-112). Lisboa: Arcádia.

Jannidis, F. (2009). Character. In P. Hühn, J. Pier, W. Schmid & J. Schönert (eds.), Handbook of narratology (pp. 14-29) Berlim: De Gruyten.

Lits, M. (2001). Personne privée, personnage public, Médiatisation et éthique. Communication, 20 (2): 9-24. Acedido em 20 de Julho de 2017, em: https://communication.revues.org/6497

Lits, M. (2009). La construction du personnage dans presse people. Communication, 27 (1): 124-138. Acedido a 20 de Julho de 2017, em: http://communication.revues.org/1292

Matos, G. (1999). A constituição de Timor-Leste como tema da opinião pública Portuguesa. Tese de mestrado, ISCTE, Lisboa.

McCombs, M. E. & Shaw, D. L. (2000). A evolução da pesquisa sobre o agendamento. In N. Traquina (org.), O poder do jornalismo – análise e textos do poder do agendamento (pp. 125-135). Coimbra: Minerva.

McQuail, D. (2003). Teoria da comunicação de massas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Merril, J. C. (2000). Les quotidiens de référence dans le monde. Les Cahiers du Journalisme, 7: 10-14.

Mesquita, M. (1998). O jornalismo em análise – a coluna do provedor dos Leitores. Coimbra: Minerva.

Mesquita, M. (2003). O Quarto equívoco. O poder dos media na sociedade Contemporânea. Coimbra: Minerva.

Monteiro, C. (2002). Covering the Lost Empire: the Portuguese media in East Timor. Journalism Studies, 3 (2): 277-287.

Peixinho, A. T. & Marques, I. F. (2016). A personagem como estratégia de imersão em reporta- gens. In Mancinas-Chávez, R. (ed.), Actas del I Congreso Internacional Comunicación y Pen- samiento: Comunicracia y desarrollo social, Sevilha, 9-11 de Março de 2016, Sevilha: Egre- gius, pp. 248-262. Acedido em 19 de Julho de 2017 em: https://idus.us.es/xmlui/handle/1144 1/51566

Reis, C. (2016). Pessoas de livro. Estudos sobre a personagem. Coimbra: Imprensa da Universi- dade de Coimbra.

Rocha, J. M. (2011). Quando Timor-Leste foi uma causa. A informação no Diário de Notícias e no Público em 1999. Coimbra: Minerva.

Soares, S. (14 de Novembro de 2014). Xanana Gusmão. Como está mudado o nosso herói da resistência. i: 26-27.

Tuchman, G. (1972, Jan). Objectivity as strategic ritual: an examination of newsmen’s notions of objectivity [Versão electrónica]. American Journal of Sociology, 77 (4): 660-679. Acedido em 23 de Agosto de 2017, em: www.researchgate.net/publication/246988634_Objectivity_as _Strategic_Ritual_An_Examination_of_Newsmen’s_Notions_of_Objectivity


Apontadores

  • Não há apontadores.


Licença URL: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/deed.pt_PT