A voz interior de Cláudia Varejão: Entrevista coletiva

Ana Catarina Pereira

Resumo


Cláudia Varejão nasceu no Porto e estudou realização no Programa de Criatividade e Criação Artística da Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com a German Film und Fernsehakademie Berlin, e na Academia Internacional de Cinema de São Paulo. Estudou também fotografia no AR.CO Centro de Arte e Comunicação Visual, em Lisboa. É autora da trilogia de curtas-metragens Fim-de-semana (2007), Um Dia Frio (2009) e Luz da Manhã (2011). Ama-San (2016), um retrato de mergulhadoras japonesas, foi a sua estreia nas longas-metragens, recebendo dezenas de prémios em todo o mundo, seguindo-se No Escuro do Cinema Descalço os Sapatos (2016), filme que acompanha a intimidade de um grupo de bailarinos de uma companhia de dança. Amor Fati é o seu mais recente filme, com estreia prevista para 2020; Lobo e Cão, em fase de preparação, devolverá novamente o seu olhar à ficção. Os seus filmes têm sido selecionados e premiados em Locarno, Roterdão, Visions du Reel, Cinema du Reel, Karlovy Vary, Art of the real Lincoln Center, entre outros prestigiados festivais de cinema. A par do seu trabalho como realizadora, desenvolve um percurso como fotógrafa, é professora convidada no AR.CO e na Universidade Católica do Porto. O seu trabalho, tanto no cinema como na fotografia, no documentário e na ficção, vive da estreita proximidade com os seus retratados. Esta entrevista é focada na sua filmografia, na sua estética, nas viagens concretizadas entre ficção e documentário, bem como no seu posicionamento político face a diferentes questões artísticas.


Palavras-chave


voz, empatia, documentário, câmara, percurso

Texto Completo:

PDF

Referências


A entrevista aqui apresentada resulta de um trabalho coletivo, desenvolvido no âmbito da unidade curricular opcional de Filosofia do Cinema, lecionada por Ana Catarina Pereira, no Mestrado em Cinema da Universidade da Beira Interior. Convidada para apresentar a sua obra nesse contexto académico específico, Cláudia Varejão acedeu à nossa proposta de o fazer em formato de entrevista. Da aula e da concretização do questionamento participaram as/os alunas/os Ana Paula Junqueira, Daniel Oliveira, Fausto Muniz, Lucas Tavares, Marisa Alves Pedro, Melanie Pereira e Tom Freitas. Ana Catarina Pereira é doutorada em Ciências da Comunicação, na vertente de Cinema e Multimédia, coordenadora do GT de Estudos Fílmicos da Sopcom e membro da Comissão para a Igualdade da UBI; desenvolve a sua pesquisa nas áreas de Estudos Feministas Fílmicos, Estudos Culturais e Pedagogias nas Artes. O programa curricular da disciplina é desenvolvido na intersecção dessas áreas de estudo.


Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2020 Eikon

RedibDOAJ
Licença Creative Commons