A comunicação pessoal e interatividade digital aprendente

Manuel Sousa Pereira

Resumo


A comunicação é um processo dinâmico, em permanente mutação e evolução, não linear, intrínseco ao próprio homem, pois, é a forma de exteriorizar, partilhar, comungar, comportamentos, atitudes, sentimentos, ideias, opiniões, e desta forma obter feed-back dos recetores, e assim, orientar novamente a comunicação para a compreensão mútua, que é o principal objetivo da comunicação. A partir dos anos 90 entramos na era da individualização dos media, onde cada pessoa pode participar na construção de informações e onde cada um pode ser um todo comunicativo. No entanto, a nova forma de comunicação tem como suporte, uma base tecnológica capaz de estabelecer de forma interativa, participativa e rápida, fomentando a participação e a interação de uns para com os outros, bem como, o uso mais eficaz da participação e intenção junto da comunidade. A comunicação eletrónica e digital além de ser cada vez mais uma excelente forma de comunicar, pelo facto de ser eficiente em termos de velocidade de processamento, facilidade de utilização e de ser extremamente económica, pois, basta ter dois computadores ligados à Internet para comunicar da forma que achar mais conveniente. O objetivo deste trabalho consiste numa reflexão teórica e concetual sobre o papel da comunicação pessoal na dinâmica aprendente dos indivíduos enquanto elementos comunicantes que interagem com o todo comunicacional.


Palavras-chave


comunicação pessoal, interatividade comunicacional, dinâmica aprendente

Texto Completo:

PDF

Referências


BAUDRILLARD, J. (1995) A Sociedad de consumo. Ed. 70: Lisboa.

BENEYTO, J.V. (2002). La ventana global. Santiago de Compostela: Ed. Generales.

CORRÊA, E.S. (2008). “Reflexões para uma epistemologia da comunicação digital”. In Actas do 5º Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação, Braga, 6 - 8 Setembro 2007.

DÍAZ GONZÁLEZ, M.J.; ANGUITA OLMEDO, C.; EGIDO HERRERO, F.; GARCÍA DE CECILIA, J.M. y MOYANO BAZZANI, E. (2004) El uso de Internet para acceder a los medios de comunicación colectiva. Resultados y conclusiones de la investigación aplicada en la ciudad de Segovia.

DÍAZ NAFRÍA, José María. (2002) “La Caverna de las tecnologías de la información” Libro: ESQUIROL, J.M. (ed.) Tecnología, ética y futuro. Bilbao: Ed. Desclée De Brouwer, 2001, pp. 149-161.

FERNANDES, A. J. (1994) Métodos para elaboração de trabalhos académicos e científicos. Porto editor: Porto

HELDER, B. (2000) Jornalismo Electrónico. Ed. Minerva: Coimbra. 2000.

JENNINGS B. (2004) Critical Communication Challenges for the New Century, Journal of Communication.

KERCHOVE, D. (1997) A pele da cultura. Sol. Relógio de água: Lisboa.

LIPOVERTSHY, G. (1983) A era do Vazio. Sol. Relógio de água. Ed. Galharda: Lisboa.

LITTLEJOHN, S.W. (1988). Fundamentos teóricos da comunicação humana. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara.

MCCHESNEY, R. W. (1993) “Critical communication research at the crossroads”, Journal of communication, 1993.

NEGROPONTE, N. (1996). Ser digital. Lisboa: Ed. Caminho.

ROBERT, L. S. (1986) “A Critical look at Critical Analysis”, Journal of communication.

SOUSA, H. e SANTOS, L. A. (2003) «RTP e Serviço Público, Um Percurso de inultrapassável dependência e contradição» in Pinto, Manuel et. al. A Televisão e a Cidadania, Contributos para o debate sobre o Serviço Público, Braga, Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho.

TORNERO, J.M.P. (coord.) (2007). Comunicação e educação na sociedade da Informação. Porto: Ed. Porto Editora.

VIEITES, Á.G. & ESPIÑEIRA, M.V. (2008). Marketing na Internet e nos meios digitais interactivos. Porto: Ed. Vida económica.


Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2018 Eikon

RedibDOAJ
Licença Creative Commons