O vestuário enquanto capital simbólico: o processo identitário juvenil

Cristina Santos

Resumo


Com o presente artigo pretendemos perceber qual o lugar que o vestuário poderá ocupar no processo identitário juvenil. Para atingir este objectivo, recorremos a dados empíricos, recolhidos através dos grupos focais que realizámos junto de estudantes, frequentadores do 9o ano de escolaridade de estabelecimentos de ensino de Cascais. Com base nas percepções da população em estudo, concluímos que o simbolismo agregado à roupa é transposto para os seus usuários, seja a nível indivídual ou grupal, pelo que a identidade dos indivíduos é formada a partir da vestimenta exibida, detectando-se tratar-se de um processo assente numa dinâmica de estereotipia.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.