O vaqueiro como personagem no documentário brasileiro: do caráter pedagógico à construção de uma memória do deslocamento

Gustavo Souza, Joyce Cury

Resumo


Por meio do personagem vaqueiro nos documentários O homem de couro (Paulo Gil Soares, 1969-70) e Aboio (Marília Rocha, 2005), este texto investiga como a voz, especialmente o canto do aboio, é trabalhada em cada um desses filmes. Para isso, a análise se concentrará nos depoimentos de alguns personagens, além da investigação de como se dá o uso da música, seja diegética ou extra-diegética, bem como a articulação entre performance e memória que encontra no canto uma importante
matéria-prima. Isso nos permite testar a hipótese de que em O homem de couro prevalece um tom informativo/pedagógico, enquanto em Aboio há a construção de uma memória que tem no deslocamento um aspecto cardeal.


Palavras-chave


documentário; personagem; caráter pedagógico; memória; música; canto

Texto Completo:

PDF

Referências


Arfuch, L. (2010). O espaço biográfico. Dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: Eduerj.

Baltar, M. (2010). Cotidianos em performance: Estamira encontra as mulheres de Jogo de cena. In C. Migliorin (ed.), Ensaios no real: o documentário brasileiro hoje. Rio de Janeiro: Azougue.

Barnouw, E. (1996). El documental: Historia y estilo. Barcelona: Editorial Gedisa.

Bernardet, J.-C. (2003). Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Companhia das Letras.

Bosi, E. (1994). Memória e sociedade. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras.

Halbwachs, M. (2003). A memória coletiva. São Paulo: Centauro.

Huyssen, A. (2000). Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro: Aeroplano.

Nichols, B. (2010). Introdução ao documentário. Campinas: Papirus.

Pollak, M. (1989). Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, 2(3): 3115. Rio de Janeiro.

Santeiro, S. (1978). Conceito de dramaturgia natural. Filme Cultura, (30): 80-85. Rio de Janeiro.

Schechner, R. (2003). O que é performance?. O percevejo, 11(12): 25-50. Rio de Janeiro.

Soares, P. (1969). O homem de couro. Texto para material publicitário da Thomaz Farkas Filmes Culturais, depositado na Cinemateca Brasileira. São Paulo.

Taylor, D. (2013). O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Williams, R. (2000). Cultura. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

O homem de couro (1969), de Paulo Gil Soares. Cor, película, 20 minutos.

Aboio (2005), de Marília Rocha. Cor, digital, 71minutos.


Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: