Adendo sobre a história de três imagens tóxicas

Andréa França, Patrícia Machado

Resumo


O artigo é uma análise da relação entre a história dos acontecimentos e a história das imagens em Democracia em vertigem (2019), de Petra Costa. Damos continuidade à pesquisa sobre o acontecimento do impeachment no Brasil e esse filme. A partir da metodologia da historiadora Sylvie Lindeperg, o artigo investiga o uso de material de arquivo no filme. A conclusão é que o método é insuficiente para lidar com imagens cujas informações estão dispersas.

 


Palavras-chave


documentário; acontecimento; imagem de arquivo; história das imagens; Sylvie Lindeperg

Texto Completo:

PDF

Referências


Almeida, M. & Weis, L. (1998). Carro-zero e pau-de-arara: o cotidiano da oposição de classe média ao regime militar. História da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contemporânea, 4. São Paulo: Companhia das Letras.

Deleuze, G. (1974). Lógica do Sentido. São Paulo: Perspectiva.

Dieguez, C. (2010). A cara do PMDB. Revista Piauí, (45), junho.

Dufour, D. (2015). Images à charge- La construction de la prevue par l’image – Introduction. Le BAL/ Éditions Xavier Barral.

Elsaesser, T. (2014). Found Footage Films and the Ethics of Appropriation. Keynote Recycled Cinema Symposium. DOKU.ARTS. Disponível em: http://2014.doku-arts.de/content/sidebar_fachtagung/Ethics-of-Appropriation.pdf.

França, A. & Machado, P. (2019). Imagens que assombram – o efeito Impeachment no cinema documental. Cinética – Revista de Cinema e Crítica (online).

França, A. & Machado, P. (2014). Imagem-excesso, Imagem-fóssil, Imagemdissenso: três propostas cinematográficas para a experiência da ditadura no Brasil. In O. Gonçalves (org.), Narrativas Sensoriais – ensaios sobre cinema e arte contemporânea. Rio de Janeiro: ed. Circuito.

Freitas, E. (2011). A Guarda Rural Indígena – GRIN – Aspectos da militarização da Política Indigenista no Brasil. Anais da Anpuh. Disponível em: www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1308140347_ARQUIVO_grin_Fin.pdf

Hartog, F. (1999). O Espelho de Heródoto. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Le Goff, J. (2003). História e Memória. Campinas SP: Editora da Unicamp.

Lima, E. & Azola, F. (2017). Entrevista com Marcelo Zelic: Sobre o Relatório Figueiredo, os indígenas na Comissão Nacional da Verdade e a defesa dos Direitos Humanos. Mediações – Revista de Ciências Sociais, 22(2): 347-365. Disponível em: www.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/view/32262.

Lindeperg, S. (2015). O destino singular das imagens de arquivo: contribuição para um debate, se necessário uma “querela. Revista Devires, 12(1).

Lindeperg, S. (2015). Des lieux de mémoire portatifs. Entretien réalisé par Dork Zabunyan. Critique: Revue générale des publications françaises et étrangères. Paris: Les Éditions de Minuit, Mars.

Lissovsky, M. (2019). As elaborações sobre as memórias da ditadura não amadureceram. Entrevista para a revista Continente. Disponível em: www.revistacontinente.com.br/secoes/entrevista/-as-elaboracoes-sobre-a-memoria-da-ditadura-nao-amadureceram-

Lissovsky, M. & Aguiar, A. (2018). Monumentos à deriva: imagens e memória da ditadura no cinquentenário do golpe militar de 1964. In A. França, P. Machado & T. Siciliano, Imagens em disputa: cinema, vídeo, fotografia e monumento em tempos de ditaduras. Rio de Janeiro: 7 Letras.

Niney, F. (1993). Des Statues meurent aussi au Tombeau d’Alexandre, le regard retourné. IMAGES documentaires, 15, 4e trimester.

Poivert, M. (2007). L’Événement comme expérience: les images comme acteurs de l’histoire. Paris: Hazan, Jeu de Paume.

Russel, C. (2018). Archiveology –Walter Benjamin and archival film practices. Durham: Duke University Press.

Salles, J. (2020, novembro). Arrabalde – parte1 – A Floresta difícil. Revista Piauí.

Veyne, P (1971). Comment on Écrit l’Histoire. Paris: Seuil.

Filmografia

A flecha e a farda (2020), de Miguel Ramos.

Democracia em vertigem (2019), de Petra Costa.

Excelentíssimos (2018), de Douglas Duarte.

Elena (2012) , de Petra Costa.

GRIN, (2016), de Roney Freitas e Isael Maxacali.

Já vimos esse filme (2018), de Boca Migotto.

Martírio (2016), de Vincent Carelli.

O muro (2017), de Lula Buarque.

O golpe em 50 cortes ou a Corte em 50 golpes (2017), de Lucas Campolina.

O Processo (2018), de Maria Augusta Ramos.


Apontadores

  • Não há apontadores.


 

Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 
 
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: