O documentário político-epistolar de Lucia Murat: uma análise de Uma longa viagem (2011)

Rafaella Maria Bossonello Bianchini

Resumo


No documentário Uma longa viagem (2011), de Lucia Murat, múltiplas
camadas de recursos narrativos, estéticos e de recolha de arquivo (como fotografias de acervo pessoal e excertos de obras audiovisuais de fontes externas; depoimentos; performance; narração verbal; edição de imagens e de sons por sobreposição e justaposição temática alternada, entre outros modos) acessam e esmiúçam memórias em busca de uma releitura do passado motivada pela narrativa epistolar familiar, daí extraindo significações múltiplas e atuais. Assim como as diversas camadas de recursos narrativos, a obra perpassa instâncias coletivas e pessoais de memórias sobreviventes: a do passado histórico e político-social dos anos de 1960 e 1970, a geracional e a pessoal e familiar. Esta pesquisa se destina a uma análise narrativa ético-estética do filme de Lucia Murat visando estabelecer o conceito de um documentário  político-epistolar contemporâneo.


Palavras-chave


Lucia Murat; narrativa epistolar; filme epistolar; memória e cinema; documentário contemporâneo; história brasileira do século XX

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: