Genocídio e invisibilidades: Apontamentos socioculturais da população negra a partir da análise do documentário O caso do homem errado (2018)

Joselaine Caroline

Resumo


O artigo analisa o documentário O caso do homem errado (2018) a partir
das relações da comunidade negra brasileira com o afroconsumo visando articular os paralelos socioculturais, midiáticos e raciais que se cruzam com o consumo do filme, e nos direcionam para a reflexão acerca da temática do genocídio de jovens negros realizado pela polícia e às invisibilidades da mulher negra no cinema.


Palavras-chave


cinema negro; documentário; mídia; genocídio; afroconsumo; mulheres negras

Texto Completo:

PDF

Referências


(2020, maio 20) O que se sabe sobre a morte a tiros de João Pedro no Salgueiro, PORTAL G1. RJ. Disponível em: https://g1.globo.com/rj/rio-dejaneiro/noticia/2020/05/20/o-que-se-sabe-sobre-a-morte-a-tiros-de-joaopedro-no-salgueiro-rj.ghtml.

Alakija, A. (2012). Mídia e identidade negra. In R. Borges&R. Borges (orgs.), Mídia e racismo. Petrópolis, RJ: DP et al; Brasília, DF: ABPN.

Almeida, S. (2019). Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen.

ANCINE. (2018). Anuário Estatístico do Cinema Brasileiro. Brasília: Agência Nacional de Cinema. Disponível em: https://oca.ancine.gov.br/sites/default/files/repositorio/pdf/anuário_2018.pd.

ANCINE. (2016). Diversidade de Gênero e Raça nos Longas-metragens Brasileiros Lançados em Salas de Exibição. Disponível em: https://oca.ancine.gov.br/sites/default/files/repositorio/pdf/informe_diversidade_2016.pdf.

Araújo, J. (2018) O tenso enegrecimento do cinema brasileiro nos últimos 30 anos. Cinémas d’Amérique latine, (26): 92-101.

Bahia, L. & Amâncio, T. (2010) Notas sobre a emergência de um novo cenário audiovisual do Brasil nos anos 2000. Revista Contracampo, (21). Niterói.

Bamba, M. (2013). A recepção cinematográfica: teoria e estudos de casos. Salvador: EDUFBA.

Canclini, N. (1995). Consumidores e cidadãos; conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

Caroline, J. (2019). A ressaca das ondas feministas. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/sul2019/resumos/R65-0481-1.pdf.

Carvalho, N. & Domingues, P. (2017). A representação do negro em dois manifestos do cinema brasileiro. Revista Estudos Avançados, 31(89). São Paulo.

Dias, F. & Amaral, A. (2019). A violência (criminosa) da atuação penal estatal e sua insustentabilidade social: retratos de um estado de polícia brasileiro. Revista de Direitos e Garantias Fundamentais, 20(2): 193-224. Vitória.

Etnus (2016). Afroconsumo: Pesquisa sobre comportamento e hábitos de consumo dos afrodescendentes da cidade de São Paulo. Disponível em: https://irp-cdn.multiscreensite.com/4e69c2ec/pdf/ETNUS_Afroconsumo

_SP_102016_v7_LOW.pdf.

Ferreira, C. (2018). Reflexões sobre “a mulher”, o olhar e a questão racial na teoria feminista do cinema. Revista Famecos. Mídia, cultura e tecnologia, 25: 1-24. Porto Alegre.

Ferreira, C. & Souza, E. (2017). Formas de visibilidade e (re)existência no cinema de mulheres negras. In K. Holanda & M. Tedesco (orgs.), Feminino e plural: mulheres no cinema brasileiro (pp.175-186). Campinas, SP: Papirus.

Ferro, R. (2012). O negro sem cor no telejornalismo brasileiro. In R Borges & R. Borges (orgs.), Mídia e racismo (pp. 65- 83). Petrópolis, RJ: DP et al; Brasília, DF: ABPN.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed.

French, J. (2017) Repensando a Violência Policial no Brasil: Desmascarando o Segredo Público da Raça. Revista Tomo, (31): 9- 40.

Gonzalez, L. (1988). Por um feminismo afrolatinoamericano. Revista Isis Internacional, 9: 133-141. Santiago.

Matos, T. (2016), Cinema brasileiro, tempo passado e tempo presente: o lugar da memória e a questão racial. Análise Social, 218, li (1.o): 170-190.

Mbembe, A. (2003). Necropolítica. Revista Arte e Ensaio (32). Rio de Janeiro. Publicação original: (2016), Public Culture, 15(1).

Neves, D. (1968). O cinema de assunto e autor negros no Brasil. In Cadernos Brasileiros: 80 anos de abolição (pp.75-81). Rio de Janeiro: Ed. Cadernos Brasileiros.

Penafria, M. (2009). Análise de Filmes – conceitos e metodologia(s). VI Congresso SOPCOM, Lisboa, 2009. Anais eletrônicos... Lisboa, SOPCOM. Disponível em: www.bocc.uff.br/pag/bocc-penafria-analise.pdf.

Ramos, F. (2001). O que é documentário. In F. Ramos et al, Estudos de Cinema Socine 2000 (pp.192-207). Porto Alegre: Ed. Sulinas.

Santos, M. (1997). As cidadanias mutiladas. In J. Lerner (org.), O preconceito (pp. 133-141). São Paulo: Imprensa Oficial do Estado.

Silva, C. (2018). Mulheres negras no audiovisual brasileiro. Revista Doc Online, (23): 46-61. Disponível em: http://ojs.labcom-ifp.ubi.pt/index.php/doc/article/view/370.

Filmografia

Amor Maldito (1984), de Adélia Sampaio.

O caso do homem errado (2018), de Camila de Moraes.

Um dia com Jerusa (2018), de Viviane Ferreira.


Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: