Rotundus: um documentário sobre o corpo gordo como matéria política na arte contemporânea

José Cirillo, Júlia Almeida de Mello

Resumo


Neste artigo, apresenta-se uma análise do documentário Rotundus (2005) buscando compreender o papel do corpo gordo na desconstrução de padrões, normas e instituições. Autores como Anna Maria Guasch (2009), Hal Foster (1996), Yayo Almazán e María Clavo (2007), auxiliam na discussão do documentário que evidencia o corpo como lugar de práticas artísticas e a produção artística de objetos audiovisuais como estratégia política.

Palavras-chave


documentário; arte contemporânea; Fernanda Magalhães; corpo; gênero; política

Texto Completo:

PDF

Referências


Almazán, Y. & Clavo (2007). Arte, política y activismo. Concinnitas, 1(10): 65-77. Rio de Janeiro.

Antle, M. (2007). Women between the Wars: New Geographies of Cultural Diversity. In A. Kenshal, A & A. Kimyongür (org.), Women in Europe Between the Wars: Politics, Culture and Society. Hampshire: Ashgate.

Arfuch, L. (2014). (Auto)biografía, memoria e historia. Clepsidra. Revista Interdisciplinaria de Estudios sobre Memoria, 1(1): 68-81. Buenos Aires.

Athanassoglou-Kallmyer, N. (s.d.). Ugliness. In E. Przybylo & S. Rodrigues (org.), On the politics of the Ugliness. Londres: Palgrave Macmillan.

Berger, J. (1999). Modos de ver. Rio de Janeiro: Rocco.

Braziel, J. & Lebesco, K. (2001). Bodies out of bounds: fatness and transgression. 1 ed. Berkley e Los Angeles: University of California Press.

Deutsche, R. (2008). Agorafobia. 1 ed. Barcelona: MACBA.

Foucault, M. (2001). Os anormais: curso no Collège de France (1974-1975). 1 ed. São Paulo: Martins Fontes.

Foucault, M. (1999a). História da sexualidade I: a vontade de saber. 13 ed. Rio de Janeiro: Edições Graal.

Foucault, M. (1999b). Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20 ed. Petrópolis: Vozes.

Foster, H. (1996). Obscene, abject, traumatic. October, 1(78): 106-124. Massachusetts.

Huunan-Seppälä, H. (2018). Unfolding the unexpressed: the grotesque, norms and repression. Tese de doutorado, Aalto University School of Arts, Design and Architecture, Espoo.

Magalhães, F. (2008). Corpo Re-construção Ação Ritual Performance. Tese de doutorado, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

Przybylo, E.& Rodrigues, S. (2018). Introduction: On the Politics of Ugliness. In E. Przybylo & S. Rodrigues (org.), On the politics of the Ugliness. Londres: Palgrave Macmillan.

Rangel, N. (2017). A emergência do ativismo gordo no Brasil. Anais eletrônicos. Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13th Women’s World Congress. Florianópolis: UFSC.

Reis, B. (2016). O que é gordativismo ou sobre o movimento gordista. Disponível em: https://medium.com/gordativismo/esse-blog-é-a-extensão-deum-grupo-secreto-de-pessoas-incr%C3%ADveis-reunidas-para-debaterum-

movimento-6f57f3468506. Acesso: 3 mai. 2020.

Ribeiro, D. (2017). O que é lugar de fala?. Belo Horizonte: Editora Letramento.

Russo, M. (1995). The female grotesque: risk, excess and modernity. Nova York/Londres: Routledge.

Sant’anna, D. (2016). Gordos, magros e obesos: uma história de peso no Brasil. São Paulo: Estação Liberdade.

Schwartz, H. (1986). Never satisfied: a cultural history of diets, fantasies and fat. Nova York: Free Press/Macmillan.

Severien, P. (2018). Ocupar, resistir, filmar: comuns urbanos e a produção audiovisual engajada na luta pelo direito à cidade no Recife. Aurora: revista de arte, mídia e política, 11(31): 57-76. São Paulo.

Simmel, G. (2005). O estrangeiro. RBSE, 4(12): 265-271. João Pessoa.

Smith, S. & Watson, J. (2012). Interfaces: women, autobiography, image, performance. 5 ed. Michigan: University of Michigan Press.

Souto, M. (2020). Relações de classe em documentários brasileiros contemporâneos. Significação, 47(53). São Paulo.

Stearns, P. (2002). Fat history: bodies and beauty in the modern west. 1 ed. Nova York: NYU Press.

Vigarello, G. (2012). Metamorfoses do gordo: história da obesidade no Ocidente da Idade Média até o século XX. 4 ed. Petrópolis: Vozes.

Filmografia

Rotundus (2005), de Fabiani Matos.


Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: