Processo de ensino no curso de especialização em produção de documentários da UFRN: experiências e reflexões

Adriano Charles Cruz, Maria Aparecida Ramos da Silva, Ruy Alkmim Rocha Filho

Resumo


O artigo discute as práticas pedagógicas na Pós-Graduação lato sensu em
Produção de Documentários (UFRN). Nesse processo, os discentes puderam vivenciar a adoção de metodologias ativas. O curso utilizou uma estrutura curricular que privilegiou a produção audiovisual. O conteúdo programático englobou desde os fundamentos relativos à história, teoria e linguagem documental até conhecimentos instrumentais.

 


Palavras-chave


documentário; audiovisual; ensino; metodologias ativas; universidade pública

Texto Completo:

PDF

Referências


Bernard, S. (2008). Documentário: técnicas para uma produção de alto impacto. Rio de Janeiro: Editora Campus.

Câmara, A. & Lessa, R. (org) (2013). Cinema documentário brasileiro em perspectiva. Salvador, BA: EDUFBA.

Campos, L. (2011). Aprendizagem baseada em projetos: uma nova abordagem para a Educação em Engenharia. Blumenau: Cobenge.

Cruz, A.; Skaff, D. & Rocha Filho, R. (2016). Claquete potiguar: experiências audiovisuais no Rio Grande do Norte. 1ª ed. Natal: Máquina.

Dewey, J. (1976). Experiência e Educação. 2ª ed. São Paulo: Editora Nacional.

Duarte, R. (2002). Cinema e educação. Belo Horizonte, MG: Autêntica.

Esteban, M. (org.) (1999). Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. Rio de Janeiro: DP & A.

Fernandes, A. (2007). Ecran Natalense. Natal: Sebo Vermelho.

Freire, M. & Lourdou, P. (2009). Descrever o visível: cinema documentário e Antropologia fílmica. São Paulo: Estação Liberdade.

Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Fresquet, A. (2013). Cinema e educação: reflexões e experiências com professores e estudantes de educação básica, dentro e “fora” da escola. Belo Horizonte: Autêntica.

Gauthier, G. (2011). O Documentário: um outro cinema. Campinas, SP: Papirus.

Holanda, K. (2008). Documentário nordestino: mapeamento, história e análise. São Paulo: Annablume; Fapesp.

Labaki, A. (org) (2015). A verdade de cada um. São Paulo, SP: Consac Naif.

Machado, A. (1997). A arte do vídeo. São Paulo: Brasiliense.

Machado, A. (2005). Pré-cinemas & pós-cinemas. São Paulo: Papiros.

Nichols, B. (2012). Introdução ao documentário. 5ª ed. Campinas: Papirus.

Piveta, H.; Vogt, M. & Badaró, A. (2014). Metodologia do ensino superior: uma experiência na pós-graduação lato sensu em fisioterapia. Cad Edu Saude e Fis, 1(2): 85-94.

Ramos, F. (2008). Mas afinal – o que é mesmo documentário?. São Paulo: SENAC São Paulo.

Rebelatto, R. (2018). Cinema e Audiovisual na Universidade Pública Brasileira com Perspectiva à Integração Latino-Americana: o Caso da Unila. In N. Santos (org.), Arte, cinema e audiovisual. Santa Maria: Ed. PPGART.

Skaff, D. & Cruz, A. (2016). O cinema independente potiguar de 2010 a 2014. In A. Cruz, D. Skaff & R. Rocha Filho, Claquete potiguar: experiências audiovisuais no Rio Grande do Norte. 1ª ed. Natal: Máquina.

Teixeira, F.; Silva, R.; Silva, T. & Hoffmann, A. (2006). Geometria Descritiva: aprendizagem baseada em projetos. Anais do XXXIV Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia.

Teixeira, F. (2004). Documentário no Brasil: tradição e transformação. 2ª ed. São Paulo: Summus.

Tironi, M. (2018). Enseñar Lenguaje Audiovisual en la Era del Lenguaje Audiovisual. In N. Santos (org.), Arte, cinema e audiovisual. Santa Maria: Ed. PPGART.

Trindade, T. (2016). A exibição comercial do documentário brasileiro em sala de cinema (2000-2010). Revista O Olho da História, 23.

A parteira (2019), de Catarina Doolan Fernandes.

A tradicional família brasileira – Katu, (2019), de Rodrigo Sena.

Baile perfumado (1996), de Lírio Ferreira e Paulo Caldas.

Boi de Prata (1981), de Carlos Augusto Ribeiro Jr.

Carlota Joaquina, princesa do Brasil (1995), de Carla Camurati.

Codinome Breno (2018), de Manoel Batista.

Jesuíno Brilhante (1972), de William Cobbett.

Leningrado, Linha 41, de Dênia Cruz Skaff.


Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: