O ensino do cinema documentário como tarefa hermenêutica

Gustavo Silvano Batista

Resumo


O presente artigo discute e problematiza o ensino do cinema documentário
como tarefa hermenêutica, tendo como referência o pensamento de Hans-Georg Gadamer. Este ponto de vista salienta o traço filosófico-interpretativo como um componente fundamental da relação com as produções documentais, possibilitando novas possibilidades de análise desde a elaboração dos projetos até as repercussões imagéticas no horizonte da vida social.


Palavras-chave


documentário; hermenêutica; Gadamer; imagem

Texto Completo:

PDF

Referências


Gadamer, H.-G. (1983). A razão na época da ciência. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Gadamer, H-G. (2004). Truth and Method. London and New York: Continuum.

Gauthier, G. (2011). O documentário: um outro cinema. Campinas: Papirus.

Lins, C. & Mesquita, C. (2008). Filmar o real: sobre o documentário brasileiro contemporâneo. Rio de Janeiro: Ed. Zahar.

Nichols, B. (2005). Introdução ao documentário. Campinas: Papirus.

Ramos, F. (2013). Mas afinal...o que é mesmo documentário?. São Paulo: Editora Senac São Paulo.

Kátia (2012), de Karla Holanda.


Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: