Lugar-nenhum: a experiência impossível da morte no documentário

Bruno Alves Ferreira

Resumo


Partimos da hipótese de que a imagem da morte real é uma representação impossível que oferece uma experiência paradoxal: uma experiência da não-experiência. A partir da fenomenologia de quatro documentários - Ônibus 174, Titicut Follies, Homem Urso e Carta de uma Cerejeira Amarela em Flor – tenta-se compreender como é a experiência do espectador quando assiste alguém morrer em câmera.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.



Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: