Desvios pela memória: o trauma e a mise-en-scène no cinema documentário latino-americano contemporâneo

Lucas Henrique de Souza

Resumo


O artigo analisa a importância da memória pós-traumática na experimentação documental com a ficção. Dessa forma, tomo como objeto de estudo documentários contemporâneos latino-americanos que efetuam em suas narrativas a figuração da memória pós-traumática no liame com a ficção. São eles: Los rubios (2003), de Albertina Carri, e Branco sai, Preto fica (2014), de Adirley Queirós. Nesse sentido, considero a capacidade da memória em possibilitar novas negociações entre o documentário e a ficção, de facilitar contaminações com outras linguagens ou desencadear desvios, sobretudo, através da encenação de experiências traumáticas.


Palavras-chave


Documentário Contemporâneo; Memória; Ficção; Encenação; Experimentação da linguagem;

Texto Completo:

PDF

Referências


Aumont, J. (2006). O cinema e a encenação. Lisboa: Texto & Grafia.

Carri, A. (2007). Los rubios. Cartografía de una película. Buenos Aires: Ediciones del BAFICI.

Comolli, J. (2008). Ver e poder. A inocência perdida: televisão, ficção, documentário. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Kohan, M. (2004). La apariencia celebrada. Punto de Vista, 27(78): 24-30. Buenos Aires.

Ramos, F. (2008). Mas afinal... O que é mesmo documentário?. São Paulo: Editora Senac.

Ramos, F. (2012). A mise-en-scène do documentário: Eduardo Coutinho e João Moreira Salles. Revista Rebeca, 1(1): 16-53.

Seliprandy, F. (2015). Los rubios e os limites da noção de pós-memória. Significação: revista de Cultura Audiovisual, 42(44): 120-140. São Paulo.

Souza, L. (2018). Desvio pela memória: as relações entre testemunho, documentário e ficção em Los rubios e Branco sai, Preto fica. Foz do Iguaçu: Universidade Federal da Integração Latino-Americana.


Apontadores

  • Não há apontadores.



Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: