Cosmopolíticas e cosmopoéticas do contato

Marcelo R. S. Ribeiro

Resumo


Se o estudo do que Clarisse denomina filmes de contato depende de uma compreensão histórica do que está em jogo em cada uma das obras abordadas, sua análise de Os últimos isolados (Adrian Cowell, 1967-1999), Corumbiara (Vincent Carelli, 1986-2009) e Os Arara (Andrea Tonacci, 1980-) busca pensar a relação entre culturas como experiência aberta à ressignificação e à reconstrução sensível.


Palavras-chave


documentário, história, contato

Texto Completo:

PDF

Referências


Alvarenga, Clarisse. 2017. Da cena do contato ao inacabamento da história: Os últimos isolados (1967-1999), Corumbiara (1986-2009) e Os Arara (1980-). Salvador: EDUFBA.

Avellar, J. C. (1995). A ponte clandestina: Birri, Glauber, Solanas, García Espinosa, Sanjinés, Alea: teorias de cinema na América Latina. São Paulo; Rio de Janeiro: Edusp; Editora 34.

Comolli, J.-L. (2008). Ver e poder - A inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. (C. Guimarães & R. Caixeta, Orgs., A. de Tugny, O. Teixeira, & R. Caixeta, Trads.). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Didi-Huberman, G. (2015). Diante do tempo - História da arte e anacronismo das imagens. (V. Casa Nova e M. Arbex, Trads.). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Ribeiro, Marcelo R. S. (no prelo). Do inimaginável. Goiânia: Editora da UFG.

Tacca, Fernando de. (2001). A imagética da Comissão Rondon. Campinas, SP: Papirus.


Apontadores

  • Não há apontadores.



Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: