A sonoridade do documentário Jards (2012), de Eryk Rocha. Entrevista com o sound designer Edson Secco

Cristiane da Silveira Lima

Resumo


Nascido em 1976, em São Paulo, Edson Secco é músico, compositor e sound designer. Em pouco mais de dez anos de carreira no cinema, já atuou em mais de quarenta filmes, dirigidos por cineastas como Paula Gaitán, Eryk Rocha, Maya Da-Rin, Petra Costa, Walter Salles, Santiago Mitre, dentre outros. Em 2010, recebeu o prêmio de Melhor Design de Som com o filme Transeunte, de Eryk Rocha, no Festival de Cinema de Brasília. Em 2013, foi contemplado com o prêmio de Melhor Som no Festival de Cinema de Brasília, pelo filme Exilados do vulcão, de Paula Gaitán, e ainda, com o filme Éden, de Bruno Sáfadi, premiado como Melhor design de som do Festival de Gramado. Nesta entrevista concedida à Profa. Cristiane da Silveira Lima, da Universidade Estadual de Maringá – UEM (doutora em Comunicação Social pela UFMG, com pesquisa acerca da música em cena no documentário brasileiro, na qual buscou investigar a relação entre os componentes sonoros da escritura dos filmes e a escuta do espectador), Edson Secco fala particularmente do seu trabalho no filme Jards, de Eryk Rocha (2012) – objeto de investigação da entrevistadora – que retrata o processo de criação do músico e compositor Jards Macalé ao longo das gravações seu disco Jards.

Entrevista concedida no dia 04/11/2016, por Skype. Transcrição: Breno Terra. 


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.



Este trabalho está licenciado com uma Licença  Licença Creative Commons
 

 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: