Do que aprendi com António Campos

Paula Mota Santos

Resumo


Tomando a obra de António Campos como una, e não dividida entre documentário e ficção, apresenta-se uma reflexão pessoal sobre duas aprendizagens que a obra deste autor permite:  o seu não amadorismo e a necessidade de mudar a sociedade portuguesa de então.


Palavras-chave


afetos; amador; centro-periferia; classes sociais; poético.

Texto Completo:

PDF

Referências


Levi-Strauss, C. (1966), O pensamento selvagem [Orig. 1962], Campinas, SP: Papirus.

Neuendorf, H. (2018), Rembrandt’s Monumental Masterpiece the ‘Night Watch’ Will Be Restored—and You Can Watch It Happen. Disponível em: https://news.artnet.com/art-world/rembrandt-night-watch-restoration-1372738

Penafria, M. (s.d.), O Documentarismo do Cinema. Uma reflexão sobre o filme Documentário. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/penafria-manuela-documentarismo-reflexao.pdf

Santos, P. M. e Alzetta, R. (2015), ‘The camera tends to lie and the audience tends to believe – the implications of the use of film in ethnographic research: the case of the international European research project TRESEGY’, ANTROPOlógicas, nº2 5, pp.17.-22. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/antropologicas/article/view/2115

Verdú, V. (2012), 'Ecce Homo' – the rubbish Effect. Disponível em: https://english.elpais.com/elpais/2012/08/29/inenglish/1346247076_925496.html


Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: