Evidenciação e ficcionalidade no documentário brasileiro contemporâneo: uma análise de Orestes (2015), de Rodrigo Siqueira

Caíque Pimentel Guimarães

Resumo


Esta dissertação investiga o processo de evidenciação no cinema documentário brasileiro contemporâneo, com foco na produção que diz respeito tanto a questão das memórias silenciadas dos que sofreram a violência, quanto a uma imbricação narrativa entre ficção e documentário, em um processo que se estabelece frente à ausência de provas e/ou documentos do passado que se quer acessar. Argumentamos a partir da questão da evidência sob o ponto de vista da retórica, tomando como referência teórica Bill Nichols, com o objetivo de compreender como se organiza o discurso documental construído pelo documentarista e as maneiras utilizadas por ele para acessar e nos apresentar o passado dos atores sociais. Para análise dessa relação entre evidenciação e ficcionalidade, analisamos o documentário Orestes (2015), de Rodrigo Siqueira, a partir do modelo semiopragmático de Roger Odin (2000), observando a produção de sentido e de modos de leitura gerados pelo filme a partir da construção da evidência.

Palavras-chave


evidência; ficcionalidade; documentário brasileiro contemporâneo; semiopragmática; Orestes.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


 
Sites de interesse | Sitios de interés | Sites d'intérêt | Sites of interest: